Como a abelha construtora foi buscar o fogo a Deus

Abutre, Coruja e Corvo estavam sem fogo, porque não havia fogo na terra. Então, como tinham necessidade de fogo, todas as aves se reuniram e perguntaram: – Onde encontraremos fogo?

Alguns pássaros disseram: – Talvez com Deus.

Então a Abelha construtora, voluntariamente se ofereceu dizendo: – Quem quer ir comigo até a casa de Deus?

Responde o Abutre, dizendo: – nos iremos contigo, eu, Coruja e Corvo.

Assim, na manhã seguinte, despedira-se de todos os pássaros, dizendo: – Nós vamos ver se Deus pode dar-nos fogo. Depois voaram embora. Depois de dez dias de viagem, caiu sobre a terra um montinho de ossinhos: era o Abutre; pouco depois, caiu sobre a terra outro montinho de ossinhos: era a Coruja. A Abelha Construtora e o Corvo seguiram sozinhos. Passados outros dez dias, um terceiro montinho de ossinhos caiu sobre a terra: era o Corvo. A Abelha Construtora continuou sozinha. Passados outros dez dias ainda ela seguia em frente, descasando sobre as nuvens, mas não conseguia chegar ao céu.

Logo que deus soube disso, foi ao encontro da Abelha Construtora; e, respondendo a Deus ( o qual queria saber onde ela ia), a Abelha Construtora disse: – Chefe, eu não vou a nenhum lugar em particular. Vim somente pedir-te um pouco de fogo. Todos os meus companheiros caíram pelo caminho, mas eu continuei a viagem, porque desejava muitíssimo chegar onde está o deus-do-céu.

Então Deus respondeu-lhe, dizendo: – Abelha Construtora, já que chagaste até Mim, tu serás o chefe de todas as aves e répteis da terra. E agora de concedo uma graça. Não terá que procriar teus filhos. Quando quiseres um filho, vai olhar numa espiga de trigo e encontrarás um inseto que se chama Ngongwa. Quando o tiveres encontrado, prende-o e leva-o para uma casa. Quando chegares a casa, procura a fornalha onde os homens preparam as coisas que comem e constrói aí uma casa para teu filho Negongwa. Quando acabares, mete-o dentro e deixa-o lá. Depois de muitos dias, vai olhá-lo. E um belo dia verás que ele se transformou e será agora igual a ti.

E hoje é assim: a Abelha Construtora, antes de construir uma casa, procura a fornalha, exatamente como Deus lhe ordenou.

 

Extraído de: Maravilhas do conto africano
Seleção: Fernando Correa da silva
Tradução: Maria Adelaide B. Nunes
Editora Cultrix

Deixe um comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

Rolar para cima